Surdo, DeMolay integra seleção brasileira de parataekwondo
Publicado em 26 de Outubro de 2016
Samuel Dreyfus durante campeonato na Argentina
Foto: Reprodução/ Facebook
Prestes a completar 20 anos, o jovem Samuel Dreyfus ganhou um presente memorável para a carreira: foi convocado para defender a seleção brasileira de parataekwondo nos XXIII Deadflympic Games, campeonato para deficientes auditivos, que acontece em Samsun, na Turquia, entre os dias 18 e 30 de julho de 2017. DeMolay do Capítulo Templários de Itabira nº 722, de Itabira (MG), Oliveira é surdo desde a primeira infância, quando foi atingido por uma meningite. A deficiência auditiva, todavia, não é problema. “Nunca atrapalhou, é quase uma vantagem”, brinca o irmão dele, também DeMolay, Martinho Oliveira Júnior – que também pratica o esporte.
 
“Eu treino muito. Tenho foco e força para treinar todos os dias. Quero ser o melhor no taekwondo, quero vencer muito”, garante o atleta paraolímpico. Segundo Martinho Júnior, a inspiração da família vem de berço. O pai deles, Martinho Oliveira, é Grão-Mestre de Taekwondo e conheceu a mãe dos garotos na academia – treinaram juntos antes de iniciar o namoro.
 
Com a convocação para a seleção brasileira, Samuel vai se dedicar ainda mais ao esporte. “Dezembro me mudo para São Paulo, para treinar muito”, garante o jovem, que treina desde os 5 anos – sob o exemplo dos pais. Questionado sobre o total de medalhas, Samuel desconversa. Após muita insistência, ele afirma que a contagem não está atualizada. “Que eu me lembre são mais de 130”, admite, modestamente.
 
Apoio
Samuel já integrava a seleção mineira de taekwondo há algum tempo e competiu pela equipe em alguns campeonatos nacionais e internacionais – “até na Argentina”, como brinca o jovem. Apesar do convite atual, o atleta já participara em outros momentos da seleção – quando colecionou parte das medalhas.
 
Faixa preta no esporte, Samuel teve apoio temporário da prefeitura de Itabira, uma espécie de bolsa atleta, porém a administração municipal suspendeu o programa. Desde então, de acordo com Martinho Filho, recebe apoio de uma loja esportiva local e de uma academia. Entretanto, o próprio Samuel frisa que tem também outros apoiadores: “Gosto muito da Ordem DeMolay!”.